Simon vs a agenda Homo Sapiens

A Sinopse

Sabe quando encontramos alguém que faz com que você se sinta confortável o suficiente para se abrir e mostrar seu verdadeiro eu? Simon encontrou essa pessoa no misterioso Blue, um garoto da sua escola com quem começou a se comunicar apenas por e-mail através do uso de pseudônimos, mantendo suas identidades preservadas diante da prerrogativa de guardar os segredos que envolvem a sexualidade dos dois.

Tudo se encaminhava normalmente na vida de Simon, assumir-se ou não nem chegava a ser uma questão muito presente para ele, até que um garoto de sua escola descobre a troca de e-mails entre Simon e a pessoa misteriosa que conseguiu fazer sua vida mudar. A partir disso, Simon começa a ser chantageado pelo garoto e se vê em uma situação completamente problemática onde sua privacidade foi violada, o que o leva a adentrar num mundo onde o sentimento de liberdade e segurança passam a não estarem mais lá.

Representatividade que enche os olhos

Ver um assunto como esse processo de auto aceitação e de assumir publicamente a sexualidade sendo tratado com seriedade e empatia me enche o coração de orgulho, pois, é dessa forma que temáticas como essas devem ser abordadas, por ser um processo comum a um grande número de pessoas e que se caracteriza como um momento extremamente delicado na maioria das vezes.

Becky Albertalli trouxe a história de Simon de forma acessível e a aborda de maneira despretensiosa e assertiva, fazendo com que a aproximação do leitor com o enredo ali desenvolvido torne-se possível mesmo com as diferenças entre os contextos reais e o ficcional, fato esse que, torna o livro algo recomendável para os mais diversos públicos.

Finalmente um romance que me arrebatou

Eu confesso que tenho uma grande resistência a comprar os romances que as pessoas insistem em vender numa grande parcela das obras literárias, mas a história de amor entre Simon e Blue não teve como não me conquistar. Confesso que vibrei de emoção, torci, chorei quando tudo deu errado e quando tudo dava certo, o que me levou a viver cada emoção desse relacionamento que foi construído de forma tão bonita e simples e que arrebatou cada pedacinho do meu coração. (Estava sentindo falta desse meu lado canceriano exagerado nos textos aqui do blog)

Opinião Final

Acho que nem preciso dizer que “Simon vs a agenda Homo Sapiens” foi uma das mais recentes adições à minha lista de melhores livros que já li na vida e que me marcou de uma forma única e tão intensa.

Uma obra que fala sobre o processo de descoberta do amor por um jovem adolescente gay que precisa enfrentar a crueldade de uma sociedade intolerante, mas que não o faz perder as esperanças e a vontade de resistir diante da insensibilidade do outro e das dificuldades de pertencer a esse grupo social e minoritário em questão de obtenção de direitos. São por esses motivos que a crítica literária de hoje é sobre um  livro que apresenta uma mensagem a qual vale a pena ser ouvida por todas as pessoas.

 

“Ele falou sobre como você pode decorar os gestos de uma pessoa, mas nunca saber o que se passa na cabeça dela. E ter a sensação de que todos somos como casas com aposentos enormes e janelas pequenininhas.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s